A Ordem não é o Contrário da Fantasia

E se Brasília fosse atingida por uma tempestade de areia e virasse um deserto com a esplanada em ruínas? E se as ruas de São Paulo virassem escolas?

Dois artistas perguntam, de maneira fantástica, coisas sérias. Em sua obra literária eles tecem linhas que tangibilizam o encontro da ordem com a fantasia. E, nesse encontro, refletem sobre a cidade e mostram como ela precisa dos dois: ordem e fantasia.

Essa edição do  Brechas Urbanas tem como tema “A ordem não é o contrário da fantasia” e para esse encontro recebe:

Nicolas Behr, poeta, adorador de Brasília. Nasceu em Cuiabá e aos 17 mudou-se para a capital federal, onde entre eixos e pilotis se descobriu poeta. De lá pra cá publicou, entre muitos, Beije-me, Braxília; A Teus Pilotis; BrasíliA-Z e Poesiília, Poesia Pau-brasília.

André Gravatá é apaixonado por poesia. Cofundador do Educ-ação e coautor do livro Volta ao mundo em 13 escolas. É autor do livro de contos Sublime. Para provocar transformações do centro de São Paulo por meio da educação, criou, junto com amigos, o Movimento Entusiasmo (ME), que realiza a Virada Educação, um projeto que mobiliza escolas e territórios por todo o Brasil.

 

Fotografia: Ivson Miranda

 

A cobertura completa você pode assistir aqui:

_

Compartilhe:

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *